<$BlogRSDUrl$>

quinta-feira, janeiro 15, 2004

Blair o perigoso fascista. 

JPH, do Elevador da Glória critica a "direita Blogueira" pelo pecado de não comentar esta capa da Spectator.

Meu caro JPH, só para o relembrar que, da última vez que olhei, o Reino Unido ainda tinha um governo considerado de Esquerda.

Grave é que que a direita blogueira não comente este manifesto aqui.

sexta-feira, janeiro 09, 2004

É pior a ementa que o soneto 

Um grupo de pasmosos dirigentes socialistas juntaram-se ontem para jantar. O Público escreve que "Ana Gomes foi o pretexto. E José Lamego o objecto."
A nós, só nos resta adivinhar a ementa: - Bacalhau à Gomes de Cá.

Maioria silenciosa 

De repente desata tudo a comentar as declarações do Dr. Sampaio e todos concordam com a necessidade de "contenção" por parte dos òrgãos judiciais e da comunicação social.

Mas que me lembre, não foi o mesmo Dr. Sampaio que promoveu activamente a realização de um Congresso da Justiça, com todos os focos mediáticos que isso acarreta e uma incontrolável promiscuidade enter os agentes da justiça e a comunicação social?

O Dr. Sampaio dá um novo significado à expressão maioria silenciosa = Estar a maior parte do mandato calado.




Uma imagem que vale mil manifestos. 


Um manifesto que vale mil manifestações. 

Um manifesto que vale mil manifestações.

terça-feira, janeiro 06, 2004

O órgão do Dr. Sampaio. 

O sinal mais evidente do profundo sentimento monárquico que os portugueses têm é o respeito incondicional pelo Presidente da República.

Este instinto institucionalista sobreviveu à 1ª República, ao Estado Novo e, até agora, à Democracia. Só isto explica as taxas de popularidade de 70% que os Presidentes da República têm façam eles qualquer coisa, ou de preferência fiquem calados.

O Dr. Jorge Sampaio, profundamente imbuído neste espírito, está à sete anos calado a ver passar os barcos - " Que linda falua que lá vem, lá vem; é uma falua que vem de Belém..."

Durante sete anos, com raras excepções, jamais falou dos problemas da justiça, da quebra do segredo de justiça, do julgamento na praça pública de arguidos, acusadores, testemunhas ou delatores.

Alguém ouviu uma palavra de Jorge Sampaio sobre as quebras do segredo de justiça no julgamento do caso Moderna?

Alguém ouviu uma palavra de Jorge Sampaio critica aos investigadores criminais quando a Dra. Morgado se esqueceu de recorrer da sentença que arquivava o processo das FP´25 de Abril?

Alguém ouviu uma palavra de Jorge Sampaio sobre os excessos da comunicação social na repetida violação do segredo de justiça?

Não, não e não.

O problema é que agora foram atingidos os amigos do Dr. Jorge Sampaio. Os seus amigos de sempre, que com ele fizeram um percurso político quase ininterrupto desde o 25 de Abril.
E por isso, o primeiro acto de defesa do Dr. Sampaio, numa entrevista à RTP, foi vir defender o seu secretário geral do PS, dos ataques torpes que este estava a ser vítima na imprensa, com a quebra do sigilo sobre as escutas telefónicas.

A verdade é que depois desta defesa ser feita e assumida pelo PR, este não tem, nem a legitimidade, nem a autoridade para vir fazer o que fez ontem.

Das duas uma:
ou o Dr. Jorge Sampaio quer, legitimamente, tirar conclusões políticas do Caso Casa Pia e para isso peça ao Parlamento para mudar a lei do segredo de justiça; assuma a necessidade de penalizar não só quem infringe o segredo de justiça, mas também os meios que servem para propagandear essas quebras; demita o Sr. Procurador Geral da República, o responsável, em última análise, da inclusão de cartas anónimas neste processo;
ou o Dr. Sampaio não quer tirar espécie alguma de conclusão de tudo isto e o que ontem veio fazer à televisão é o maior exercício de cobardia política que há memória desde Chamberlaind.
O Dr. Sampaio convenceu-se que, para ser Presidente da República, basta querer parecer que é Presidente da República. Esqueceu-se da lição de administrativo do Prof. Freitas:- " O órgão, quando não é exercido, perde a capacidade de desempenhar a função para o qual foi criado."

segunda-feira, dezembro 15, 2003

Processo de Democratização em Curso. 

Por obrigações familiares, fui obrigado a assistir ao filme "Barbie e o Lago dos Cisnes", que passou à 15 dias na TVI.
Tal como na minha infância havia bem e mal, princesas e bruxas, cavalos alados e unicórnios.
A única diferença é que a princesa se chamava Odete e era empregada de balcão numa pastelaria.
Finalmente o 25 de Abril chegou às histórias infantis.

terça-feira, dezembro 02, 2003

God is in the details, indeed 

Al. do Sierra Madre, chamou a atenção para uma incómoda gralha, ainda por cima no nome do meu rebento.
Tivesse isto sido na conservatória do Registo Civil, e eu teria feito uma berrata nos Tribunais Administrativos maior que a do D. Vasco Telles da Gama, para a consagração do respectivo Dom.
Agradeço a chamada de atenção, e já foi feita a devida correcção.
Fica o erro, fruto do copy and paste no e-mail, para que nos lembremos que o infortúnio faz parte da dimensão humana.

quarta-feira, novembro 26, 2003

Costa da Caparica 

Vou ao site do Ivan Nunes, A Praia, e leio nos related searches da Blogspot a seguintes sugestões: - expresso; nazis; skinheads; neo nazis; fortaleza; centro.
Ora digam lá se nõ vos enche de vontade ler um blog cujas referências são o:- "Expresso",osnazis, neo-nazis e skinheads, do centro e ainda Fortaleza ( uma cidade cujas melhores coisas que deu ao mundo foi o Jardel e o Fagner).


" Mais uma canção sobre edifícios a arder" 

" Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto tão perto tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura

Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco "


Mário Cesariny

With no political meaning 

" Sigamos o cherne!

(Depois de ver o filme O Mundo do Silêncio de Jacques-Yves Cousteau)

Sigamos o cherne,minha amiga!
Desçamos ao fundo do desejo
Atrás de muito mais que a fantasia
E aceitemos,até,do cherne um beijo,
Senão já com amor,com alegria...

Em cada um de nós circula o cherne,
Quase sempre mentido e olvidado.
Em água silenciosa de passado
Circula o cherne:traído
Peixe recalcado...

Sigamos,pois,o cherne,antes que venha,
Já morto,boiar ao lume de água,
Nos olhos rasos de água,
Quando,mentido o cherne a vida inteira,
Não somos mais que solidão e mágoa... "

terça-feira, novembro 25, 2003

Neverland is not a Clever land 

Leio e pasmo.
O Post é de ontem, mas a sagacidade de JMF ( Jotinha) mantém-se.
Tem o título " O Iraque e o terrorismo - moda Outono/Inverno "e parece ter sido escrito pela Sininho.
O argumento saiu do "Wag the Dog".
Os americanos estão a simular uma guerra que não existe.
O grande culpado dos ataques do 11 de Setembro é o funcionário alfandegário que deixou os terroristas entrar nos Estados Unidos.
A Europa chora desinteressadamente as vítimas do 11 de Setembro e as vítimas do Iraque.
3 factos para lembrança futura:-
1º- A atitude dos EUA começou a mudar com o discurso do Presidente Bush, em 6 de Novembro de 2003. Vale a pena consultá-lo aqui.
Nele G.W.B. traça uma nova doutrina sobre a defesa das democracias no mundo e condena a antiga política americana de Real Politik que levava à união dos EUA com regimes totalitários. Alguém ouviu uma palavra de elogio na Europa?. Bem me parecia.
2º- Relativamente a imagens. Aconselho o Jotinha a consultar a imprensa internacional. Lá verá as imagens das comissões recebidas pelo Presidente Chirac pagas com dinheiro do regime iraquiano. Ou será que todos os carros franceses que vemos a circular no Iraque foram importados pelos americanos só para a fotografia?
3º- A Europa, essa entidade que nunca conseguiu falar a uma só voz em matérias internacionais, quer seja sobre Timor, quer seja sobre o Iraque, parece ser agora o guarda chuva protector dos órfãos do Marxismo-leninismo.
Acho que nem eles sabem bem o que é isso da Europa, mas como é contra os Estados Unidos e o imperialismo à de ser bom de certeza.
Pobre Europa. De anão político passaste a anão de circo.

Onde é que tu estavas quando foi o 25 de Novembro? 

Vejam aqui e aqui dois fantásticos posts sobre o 25 de Novembro.
São dois testemunhos da minha geração sobre uma data que representa a confirmação da democracia plena em Portugal.
Para todos aqueles que esquecem e que, ainda à 15 dias glorificavam o legado de Álvaro Cunhal, fica a pergunta que ninguém fez a esse general no seu labirinto.
" Ó Álvaro, onde é que tu estavas quando foi o 25 de Novembro?"

This page is powered by Blogger. Isn't yours?